Página Inicial Notícia

PARTICIPAÇÃO POPULAR 10/06/2021 Prefeitura realiza posse do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher

Prefeitura realiza posse do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher

Na tarde da última terça-feira (8), ocorreu a posse das conselheiras titulares e suplentes, representantes da sociedade civil eleitas para o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CMDM). A ação, voltada para a defesa das mulheres, bem como o desenvolvimento de políticas públicas para este público, aconteceu no auditório da Secretaria da Educação.

O evento contou com a presença da vice-prefeita, Lorena Oliveira, da vereadora, Sheila Renteiro e da Secretária da pasta da Educação e Cultura, Renata Celeguim. Veja fotos da cerimônia

Ao todo, por meio de votação, foram eleitas seis titulares e seis suplentes, para um mandato de dois anos. As mulheres que tomaram posse seguirão para um plano de trabalho, para o qual será decidida a presidência do conselho, assim como pautas que pretendem garantir às mulheres o pleno exercício da cidadania, por meio de propostas para fiscalizar, acompanhar e avaliar políticas que busquem igualdade de oportunidades e de direitos.

A secretária Renata Celeguim, foi recebida com aplausos e deixou um recado para as conselheiras e suplentes. “Quero lembrar que atrás de toda mulher há uma história de opressão, por isso, não só as mulheres, mas principalmente elas, são as que detêm o poder de mudar a história. Seguimos juntas”, pontuou.


Em sua fala, Lorena Oliveira frisou a importância do evento e se colocou à disposição do conselho. “Sinto meu coração aquecido com esse movimento. Vamos juntas, trazendo diferentes perspectivas, sem hierarquia, mas sim, de mulher para mulher, a partir de nossas vivências para darmos continuidade às políticas públicas que vêm moldando a cara da nossa cidade”, destacou.

Importante destacar que, a Prefeitura, por meio do Núcleo de Prevenção e Assistência às Vítimas de Violência (NUPAVV) dispõe de um serviço de acolhimento psicológico e psicossocial às mulheres que sofrem algum tipo de violência, seja moral, física, psicológica ou outras. Os atendimentos ocorrem por demanda espontânea, agendamento prévio ou encaminhamento de outros serviços, como as Unidades Básicas de Saúde (UBS), Cras e Creas.

Texto: Heloísa Maia - Foto: Orlando Junior