Página Inicial Notícia

DESENVOLVIMENTO SOCIAL 20/09/2017 Projeto Amigos do Dito mobiliza jovens para zelar pelo parque municipal

Projeto Amigos do Dito mobiliza jovens para zelar pelo parque municipal

Tímida, Alexandra Fernandes fala sobre os desenhos que produz com cuidado e riqueza de detalhes. “Quando eu fiz o desenho, imaginei uma pessoa se escondendo de tudo. Eu nunca desenhei na frente de ninguém, foi a primeira vez aqui na oficina. Sempre está eu, meu quarto e o desenho.” A jovem de 15 anos é moradora da Vila Bazú e frequenta o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), no contraturno das aulas, desde o segundo encontro do projeto “Amigos do Dito”. Confira fotos dos encontros

Destinado ao público que recebe atendimento no (CRAS) e no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), por meio da atividade “Roda de Encontro”, esse projeto tem o objetivo de formar e transformar os indivíduos por meio da qualificação dos processos de escolarização, profissionalização e, principalmente, conscientização.

Com a ideia de preservação do patrimônio público, os envolvidos no projeto têm a oportunidade de se expressar e aprender a cuidar do que é de todos através da arte. Giovana Cunha Rodrigues, de 15 anos, diz que as oficinas são interessantes porque os participantes podem interagir. “Eu acho que o tema é muito importante. O parque é novo aqui na cidade, então nós temos que cuidar”, ressaltou a jovem que participa desde o segundo dia de atividade.


Para esse trabalho se tornar realidade, a prefeitura, por meio da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, conta com os serviços do Centro Educacional Continuado em Desenvolvimento Social (CECON), que oferece essas atividades do projeto “Amigos do Dito” aos participantes do CRAS e do CREAS.

“Gosto de pensar que com o cuidado que nós desenhamos e os detalhes que usamos nos traços podemos deixar tudo mais incrível”, confessou Rafaela Fernandes, irmã gêmea de Alexandra, que também gosta de desenhar - além de cantar e dançar - e começou a frequentar as oficinas do CRAS em agosto deste ano.

A programação “Amigos do Dito”

O projeto é dividido em três módulos: preservação do patrimônio e identidade, com dez encontros; grafite, com 21 e silk screen com 19, as oficinas começaram em agosto e a previsão é que termine em março de 2018.

Artur Vieira, coordenador do Amigos do Dito, está orientando os jovens no primeiro módulo. Ele explica que de início são dez encontros, mais teóricos, que vão abordar a questão da preservação tendo como eixo o Parque Municipal Benedito Bueno de Morais. “Todo o projeto foi elaborado pensando na questão da conservação do parque”, declarou.

Além da parte teórica, o módulo de grafite e silk screen serão oferecidos por professores especialista de cada área. Vieira conta ainda que cada aula tem uma média de 20 alunos.

Fabiana da Rocha Fernandes, assistente social há cinco anos no CRAS Vila Bazú, contou que a “Roda de Encontro” atende jovens de 15 a 17 anos e faz parte de uma política nacional. “O município precisa disponibilizar métodos de atender esse público e o Amigos do Dito é um desses métodos, que foi inclusive divulgado nas escolas estaduais antes de começar”.

A assistente social contou o que espera após a conclusão da programação. “Eu acredito que a consequência dessa iniciativa será o aprimoramento dos adolescentes e a partir disso eles poderão buscar novos caminhos”, concluiu.

As artes e o resultado

Nas aulas de grafite os alunos aprenderão as técnicas e também produzirão artes em telas; nas de silk screen farão estampas em camisetas; tudo com material disponibilizado pelo projeto. “Ao final, nós queremos fazer uma exposição no parque com o material desenvolvido pelos alunos ao longo das oficinas”, afirmou Vieira.

A conscientização dos jovens em relação ao cuidado com o patrimônio público é o pilar desse projeto, no entanto a interação deles com a arte vai muito além disso.

Considerando a importância da convivência com manifestações culturais, o trabalho em equipe, a oportunidade do conhecimento adquirido e também a relação com o universo em que vivem, o “Amigos do Dito” desdobra-se em uma ação transformadora.

(Texto: Karen Moraes - Foto: Equipe CRAS)