Página Inicial Notícia

CULTURA 09/04/2018 Circuito Sesc de Artes traz circo, dança, música e teatro, além de oficinas culturais para a população

Circuito Sesc de Artes traz circo, dança, música e teatro, além de oficinas culturais para a população

Na sexta-feira (6), a Praça Caieiras, em Franco da Rocha, ficou pequena para a variedade cultural apresentada no Circuito Sesc “Arte na Rua Para Todos”. Veja fotos das atrações

Centenas de pessoas se juntaram no local e acompanharam aos espetáculos de dança, música, teatro, além de outras atividades que reuniram crianças e adultos, tudo de forma gratuita. A atividade, promovida pelo SESC (Serviço Social do Comércio), foi realizada em parceria com a prefeitura, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer.

O objetivo do Circuito é fazer com que a população tenha acesso aos espetáculos diversificados e possa interagir com os artistas, dançarinos e integrantes do projeto.

Ao som de muita música, os presentes também participaram da oficinas dos brinquedos mutantes, a Dr GepetoStein, além da leitura e a exibição de curtas metragens de animação do estúdio da Pixar, criadora de Toy Story e Monstros S/A.


Música, Dança e ação

A abertura no palco do SESC aconteceu com a apresentação do músico cubano Fernando Ferrer e sua banda. O cantor de carreira internacional, já se apresentou ao lado de integrantes dos projetos Buena Vista Social Club e Afro Cuban All Star. Ferrer é radicado em São Paulo e apresenta show com ritmos de toda a América Latina, como bolero, guajira, cumbia, merengue e salsa.

Na sequência foi a vez do grupo de dança Os Clássicos do Passinho, formado por quatro jovens cariocas. Na apresentação, uma batalha originária das comunidades dos bailes funk´s, os dançarinos criam e repetem movimentos incorporando elementos do break, frevo, capoeira, até mesmo do kuduro e do contorcionismo.

O duelo foi disputado por Celly Idd, Thamires Cândida, Sidy e André Db, com participação do DJ Seduty Hadassa. Além de assistir a batalha, o público foi convidado a aprender alguns movimentos do ritmo.

“O passinho é uma vertente dentro do funk, mas menos acelerada que o tradicional. As letras que usamos também são relacionadas ao espetáculo sem que haja sexualidade ou violência”, explicou a dançarina Celly.

Os Clássicos do Passinho surgiu em 2016 e foi o primeiro a se apresentar no estado de São Paulo.

Respeitável Público!

O espetáculo a Condessa e o Bandoleiro, do grupo Barracão Cultural, envolveu teatro, circo e muita música.

Entediada com a nobreza, a condessa sonha com uma vida de aventuras, enquanto um bandoleiro vive todos os dias no limite do perigo. Essas duas histórias se cruzam na peça, eleito o melhor espetáculo jovem de 2015 pelo Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem. Na apresentação, os atores também são responsáveis pela música de ritmos bem brasileiros.

A última apresentação foi a a peça teatral Os Perdidos, do grupo Solas de Vento. Os dois personagens da história saem em viagem levando apenas uma escada e um atlas. Entre brincadeiras e confusões, eles usam a imaginação para transformar a escada em barco, caverna e montanha. Os artistas Bruno Rudolf e Ricardo Rodrigues utilizam elementos de acrobacia e de dança para criar um espetáculo cômico e poético.

Oficinas

Consertar pequenos brinquedos e dar vida aos bonecos. Esse é o objetivo do coletivo UnsQuePensamAArte. O integrantes apresentam a oficina do Dr. Gepetostein e os Brinquedos Mutantes, inspirado no bondoso criador do boneco Pinóquio.

O personagem principal é o doutor Victor Frankenstein e durante a atividade são promovidas oficinas para reaproveitar, modificar e ressignificar brinquedos usados, velhos e quebrados. Com a troca de partes de bonecas e bonecos, carrinhos e outros objetos, os participantes – a maioria de crianças - usam a criatividade para dar vida a novos seres do universo da brincadeira.

Em Franco foram três turmas de pelo menos 20 pessoas cada entre crianças, adultos e adolescentes. Durante, pelo menos, uma hora e meia, cada grupo se dedicou à criação de novos brinquedos.

Simultaneamente às oficinas, outra equipe do SESC trabalhava com a mediação de leitura. A Cia. Circo de Trapo mantém um acervo variado de livros ilustrados e os mediadores convidam o público para leituras individuais e/ou compartilhadas.

Quem aguardava a chamada para participar da oficina de brinquedos, ainda podia acompanhar em um pequeno trailer, a apresentação de uma seleção de curtas-metragens de animação criados pelo estúdio Pixar, responsável por grandes sucessos do cinema e atualmente parte da Walt Disney Pictures.

(Texto e foto: Adriana Carvalho)