Página Inicial Notícia

CULTURA 09/05/2018 Nono Encontro Regional de Políticas Públicas para Mulheres teve palestra sobre violência

Nono Encontro Regional de Políticas Públicas para Mulheres teve palestra sobre violência

A advogada Tainã Góes, da Rede Feminista de Juristas, ministrou palestra sobre violência contra mulheres o Nono Encontro Regional para Reflexão de Políticas Públicas para a Mulher, ocorrido na quinta-feira, 3, no Centro Cultural Newton Gomes de Sá, em Franco da Rocha.

Na plateia, poucos homens e dezenas de espectadoras da Educação de Jovens e Adultos (EJA) local, além do público de outras cidades.

O evento, que é uma realização do Grupo de Trabalho CIMBAJU Mulheres, conta com a parceria da prefeitura, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, tendo por objetivo discutir avanços e implantação de medidas em prol do universo feminino, nos municípios envolvidos, sendo eles Franco da Rocha, Caieiras e Francisco Morato.

A reunião teve início com a apresentação de um vídeo produzido pelo Diário Catarinense, sobre a violência contra as mulheres do campo. Na sequência, a atriz Fábia Pierangeli apresentou intervenção cênica do Projeto Violar. No palco, Fábia demonstrou como as mulheres são violentadas em sua integridade física dentro de coletivos e trens. André Arruda participou da parte sonora da apresentação.


Rede

Em nome da Rede Feminista de Mulheres, Tainã Góes falou sobre as diversas formas de violência contra as mulheres. Discorreu sobre as ações que tornam as mulheres menores diante do público masculino. Como por exemplo, o fato de as mulheres serem responsáveis pelas tarefas de casa ante às atividades mínimas designadas aos homens dentro do lar. Ela e outras 8 advogadas formaram, em 2016, a Rede Feminista de Juristas, organização sem fins lucrativos que presta orientações jurídicas às mulheres.

A rede é um coletivo de mulheres do Direito que congrega cerca de 150 profissionais de diversas áreas. Essas mulheres se unem contra o machismo e misoginia na carreira e lutam por transformar a prática e o pensamento do mundo jurídico, combatendo a falsa neutralidade. O grupo atua principalmente por meio de atendimento às mulheres vítimas de violência e do machismo, realizando orientação e encaminhamentos para equipamentos públicos. Também promove campanhas pelo empoderamento feminino e pelo fim da violência, além de fomentar debates para difusão de informações úteis que visam transformar as desigualdades de gênero.

Palestra

"Todas nós sabemos como nos sentimos quando somos violentadas. O que não sabemos é como mudar isso. A violência de gênero é muito difícil de transformar. Vemos que a inteligência, atribuída sempre ao homem, é mais apreciada do que a parte emocional, remetida às mulheres”, explicou Tainã.

Outro destaque da palestra da advogada, foi a delimitação do ciclo interno de violência as quais muitas mulheres são submetidas.

“A questão da pressão da estrutura é determinante nesse quesito. O homem que é humilhado no trabalho, geralmente desconta em sua mulher, em casa. E o ciclo se forma quando ele bate na esposa e ela aceita as desculpas dele. Mesmo que a mulher também seja humilhada no trabalho dela, o público feminino é ensinado a harmonizar. O que faz com que elas em geral, aceitem o marido de volta sob a promessa de que a violência não vá acontecer novamente”, enfatizou.

Medidas

As ações do Grupo de Trabalho (GT) CIMBAJU Mulheres iniciaram a partir do projeto "Por Elas, Pra Elas", promovido em 2017 pela prefeitura de Franco da Rocha, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer. Nesse evento, a proposta foi juntar as sugestões de cada uma das secretarias municipais em benefício das mulheres e contou com a contribuição e participação efetiva da sociedade civil.

De acordo com a secretária de Cultura, Esporte e Lazer, Taiana Garcia, foi na audiência pública que encerrou o calendário de comemoração do mês das mulheres, em março de 2017, que surgiu a necessidade de criar um espaço para a discussão e construção de políticas públicas regionais de atendimento à mulher.

“Foi então que, em abril do ano passado, os municípios de Franco da Rocha, Caieiras e Francisco Morato uniram-se para aprovarem junto ao CIMBAJU, a criação de um grupo de trabalho de formação paritária (poder público/sociedade civil) que promovesse espaços de formação e orientação do público, solucionasse questões relacionadas às falhas de comunicação existente entre as instituições e que tivesse como objetivo principal a construção de uma rede de atendimento para cada uma ”, detalhou Taiana.

De lá para cá, o Consórcio Intermunicipal dos Municípios da Bacia do Juquery aprovou a suplementação em mais de 65%, da verba para a realocação da Delegacia da Mulher, localizada em Francisco Morato. A medida vem ao encontro da maior reivindicação das mulheres durante os eventos regionais: a ausência de um espaço de escuta adequado, inibiram e ainda inibem muitas mulheres de registrarem o boletim de ocorrência.

Franco da Rocha

Enquanto as ações intermunicipais seguem por meio de ações do GT CIMBAJU, a Prefeitura de Franco da Rocha implanta novas medidas que visam melhorar as condições de atendimento às mulheres. No final do mês de abril deste ano, as secretarias de Assistência e Desenvolvimento Social, Saúde e Cultura finalizaram os trabalhos do fluxograma interno de atendimento às vítimas de violência. Nesse documento, fica especificado, por exemplo, quais as medidas devem ser adotadas quando uma mulher agredida chega numa unidade de saúde do município.

Paralelamente às determinações desse fluxograma, o Executivo está finalizando o projeto da Rede Municipal de Enfrentamento da Violência Contra a Mulher, que prevê a implantação do Ciclo Formativo para Agentes Públicos. Integram o rol de atividades, palestras que tem por objetivo sensibilizar os agentes públicos quanto à desigualdade de gênero e suas múltiplas especifidades, além de espetáculos de teatro com o tema “violência contra a mulher”.

As palestras serão ministradas para policiais civis e militares, guardas municipais, agentes de trânsito, servidores públicos do Tribunal de Justiça e das áreas da Saúde, Educação e Assistência Social.

“Nossa intenção é instituir essa rede de enfrentamento dentro de Franco da Rocha para depois estendermos para o GT CIMBAJU”, finalizou a secretária Taiana Garcia.

(Texto e foto: Adriana Carvalho)