Página Inicial Notícia

ASSISTÊNCIA SOCIAL 19/08/2019 Abrigo emergencial oferece serviços especializados para a população em situação de rua

Abrigo emergencial oferece serviços especializados para a população em situação de rua

O período mais frio do ano exige atenção redobrada das equipes da Secretaria de Assistência Social do município. Por isso, desde o início do mês de julho, o abrigo emergencial de Franco da Rocha está disponível para acolher a população em situação de rua. O local abre as portas pelo quarto ano consecutivo para receber os que mais precisam.

No local, assim que chegam os moradores são acolhidos por uma equipe especializada, onde recebem materiais de higiene, roupas limpas, tomam banho quente e se alimentam. O cardápio balanceado é elaborado pela coordenadoria de segurança alimentar da prefeitura.

O processo de encaminhamento ao abrigo é feito pelos assistentes sociais da prefeitura, que mapeiam os possíveis lugares onde os moradores costumam ficar e fazem a abordagem. Os que já conhecem o serviço de abrigamento do município costumam chegar ao local por iniciativa própria.

Com capacidade para atender até 30 pessoas, o serviço é gerido atualmente pelo CTEC (Centro Terapêutico Educacional Cristão). A associação sem fins lucrativos é especialista no acolhimento e garantia de bem-estar às pessoas em situação de rua e dependência química. A entidade tem mais de 20 anos de experiência na área e é responsável por outros cinco abrigos no interior de São Paulo.

De acordo com a diretora de proteção social da prefeitura, Luciane Mosca, a previsão é que o abrigo emergencial funcione até o final do mês de setembro ou enquanto durar o período mais frio. “Depois o local permanecerá funcionando como uma Casa de Passagem, ampliando os serviços à população que mais precisa”, revela.

Em razão da alta demanda e rotatividade, o abrigo está precisando de doações de diversos materiais, como alimentos, roupas, cobertores, toalhas de banho, calçados, materiais de higiene pessoal como sabonete, escova e pasta de dentes, desodorante, aparelho de barbear, absorvente e shampoo.

Para garantir a segurança dos frequentadores, as doações devem ser encaminhadas ao Fundo Social de Solidariedade, localizado na rua Bernardino dos Passos, nº 7 - Jardim Cruzeiro.

Acolhimento, saúde e cidadania

A Casa de Passagem funciona 24 horas por dia e oferece serviços que vão muito além de banho e acolhida para a noite. Os frequentadores que desejam permanecer durante o dia têm à disposição uma equipe de saúde, educadores sociais, cozinheira, coordenadores, além de acompanhamento com psicólogo, assistentes sociais, e orientações dos agentes do CAPS Álcool e Drogas para tratamento de dependência química.

A gestão da casa também fica por conta da CTEC, que possui um plano diário de atividades incluindo a manutenção de uma horta suspensa, aulas de pintura, passeios supervisionados, entre outras ocupações. Os frequentadores podem ficar na casa por até 6 meses.

Em parceria com a Secretaria da Saúde, também são feitos testes rápidos para detecção de IST's (Infecções Sexualmente Transmissíveis), cartão dos SUS e, caso necessário, são emitidos encaminhados para consultas com especialistas.

O resgate da cidadania é prioridade no atendimento às pessoas em situação de rua, por isso os assistentes sociais realizam um trabalho que abrange entrevista individual, emissão de primeira ou segunda via do documento de identidade, inserção no CadÚnico para que possam ser incluídos nos programas de transferência de renda, cadastro no CAT (Centro de Atendimento ao Trabalhador), além de uma investigação das relações nucleares para buscar a reinserção familiar.

“Nesse estágio, nós montamos para o frequentador um PIA (Plano de Atendimento Individual) para tentarmos restabelecer pilares como trabalho e renda, educação e saúde e documentação”, conta Luciane.

A diretora revela ainda que muitos atendidos na Casa de Passagem voltaram para o convívio familiar, tiveram sucesso no tratamento para álcool e drogas ou conseguiram trabalho. “É uma tarefa minuciosa que visa a autonomia e emancipação social dos que hoje se encontram em situação de rua, e para isso nós contamos com a ajuda de parceiros como CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) e o Núcleo de Proteção Social”.

Novos projetos

Entre os projetos da Secretaria de Assistência Social para melhoria no atendimento às pessoas em situação de rua, está a criação de um Centro Pop (Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua).

O local será um espaço de referência para o convívio social e em grupo, estimulando as relações de solidariedade, afetividade e respeito.

“No Centro Pop será trabalhada a questão de ressocialização imediata, seria um atendimento feito antes da Casa de Passagem. Neste local, nós pensamos em oferecer serviços como guarda-volumes, canil em parceria com a zoonoses do município, para abrigar os animais que acompanham os moradores, além de lavanderia e um espaço de convivência”, ressalta Luciane.

(Texto: Luana Nascimento - Foto: Orlando Junior)