Página Inicial Notícia

ASSISTÊNCIA SOCIAL 08/10/2019 Centro Dia do Idoso comemora a chegada da primavera com os frequentadores

Centro Dia do Idoso comemora a chegada da primavera com os frequentadores

O Centro Dia do Idoso (CDI) organizou na última sexta-feira (4), uma tarde repleta de atividades para os frequentadores em celebração a chegada da primavera. O evento, que reuniu também os familiares e amigos dos idosos, contou com palestras sobre envelhecimento saudável, apresentação de coral e roda de capoeira com a participação dos alunos do Centro de Convivência (CECO).

Veja fotos do evento

Para a chegada da primavera, cerca de 15 idosos prepararam-se durante 3 meses para produzirem uma horta. Com auxílio das cuidadoras, que fizeram o molde de uma horta suspensa eles plantaram temperos, chás e flores, como manjericão, hortelã, erva-cidreira, suculentas e cactos.

“Depois dessa preparação, pretendemos passar a horta para um jardim, para que eles possam continuar cultivando o que plantaram”, explicou a coordenadora do CDI, Gislaine Manga.

A participação dos alunos de capoeira do CECO levou muita diversão e entretenimento aos idosos. Os frequentadores aproveitaram para cantar e dançar ao som do pandeiro e do berimbau.


A celebração

Trazendo o clima primaveril para o CDI, os idosos decoraram as paredes com desenhos de flores, plantas e insetos pintados a mão e ainda fizeram origamis com papel cartão.

O professor Ronerio Candian, abriu o evento com a palestra “Envelhecimento Saudável”, destacando a importância da atividade física, do uso de jogos, como quebra-cabeça, caça-palavras e dama. Realizar essas atividades com regularidade mantém as pessoas mais velhas mentalmente alertas e, consequentemente, proporciona mais qualidade de vida, melhora do humor e a convivência familiar.

“O que me motivou a aceitar o convite de palestrar aqui foi o carinho que recebo dos idosos, isso não tem preço. É maravilhoso conviver com os mais velhos, eu aprendo mais do que ensino e acredito que eles precisam de cuidado e atenção, visto que, nessa idade se sentem solitários”, ressaltou Ronerio.


Música

Para encerrar a tarde de atividades, os frequentadores fizeram a apresentação do coral. Em completa sintonia, eles transmitiam muita emoção para a plateia, que pôde ouvir as músicas “Que abraço bom” e “Limão meu limoeiro”.


“Quando fiz 60 anos entrei em pânico. Cheguei a pensar: agora é morte. Mas hoje vejo que envelhecer remete também a amor e cuidado, então, como assistente social do CD, procuro reforçar essa ideia com todos os idosos atendidos aqui”, relatou Salete Rodrigues de Paiva.

Texto: Heloísa Maia - Foto: Orlando Junior